Morrer com dignidade

Caros, assisti, na sexta feira passada, em um canal de TV paga, o programa "Vivendo com ELA".

Imagino que esta onda de discussões apareceu depois do banho com gelo, e espero que não passe a onda.

O programa mostrava uma senhora canadense com ELA que queria mudar as leis do país, não para VIVER com ELA, mas para MORRER, ela dizia: com dignidade.

Ela queria mudar as leis para cometer suicídio assistido, com auxilio de pessoas da saúde por perto. Talvez tivesse medo de algo dar errado. Não sei. Sei, no entanto, que esta mulher não queria viver, mas morrer.

Não fiquei deprimido ao ver o programa, porque conclui que aquela senhora canadense, chamada Glória, é diferente de mim e das pessoas que conheço. Ela abdicou da vida, se acovardou diante do problema e decidiu não viver.

Decidiu morrer com dignidade. E os canadenses estão a fazer a maior festa com ela e chamam-na de heroína, lhe dão a maior glória.

Fiquei cá pensando: o que seria morrer com dignidade?

Abdicar da vida, como fez a Glória, com certeza, para mim, não tem dignidade alguma. Não aceitar as agruras da vida, e querer a morte é coisa de covardes, não de seres racionais.

Talvez, digno, seja uma mãe, ou pai, morrer de acidente de carro deixando os filhos pequenos, morrer em desastres de avião, ser estraçalhado por animais do campo, na guerra,... Ah! Isto sim é morrer com dignidade! Mas morrer de uma doença que não tem cura, isto não tem graça, isto é indigno!

Em nenhum momento do programa ouvi esta senhora preocupada com os seus cuidadores, com as pessoas que tem amor e carinho por ela. Ela pensava só na sua dignidade. Egoísta, não?

Penso que há dignidade na morte natural, pois quem fica é que tem conceitos de digno ou não, quem morre, morre, não vê mais nada. A minha convicção religiosa me diz outra coisa sobre a morte, mas este não é o foro.

As pessoas desta comunidade, como eu, queremos a cura. Mas enquanto ela não vem queremos viver com dignidade, sendo amado por aqueles que nos consideram e ser cuidado por aqueles que nôs amam e se preocupam conosco. Nós, de uma forma ou outra, temos transmitido esperança àqueles que nos rodeiam. Eles veem a nossa luta e concluem que a vida vale pena, mesmo em situações de risco, como uma doença que não tem cura.

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de ComunidadeELA-Brasil.

Join ComunidadeELA-Brasil

Comentários

  • BOA NOITE QUERIDOS,

    SEI QUE ISSO E MUITO POLEMICO CADA UM TEM UMA MANEIRA DE PENSAR...

    EU SEI QUE VIVER TOTALMENTE DEPENDENTE E MUITO TRISTE PRINCIPALMENTE COM ESSA DOENÇA QUE NÃO TEMOS NENHUMA MELHORA .

    EU PARTICULAMENTE NÃO CONSEGUIRIA VIVER ASSIM, PODE-SE CHAMAR DE COVARDIA MAIS SÓ DE IMAGINAR PIRO....

    AO MEU VER VIVER E MORRER COM DIGNIDADE SERIA TER DIREITO DE OPTAR PELA MORTE ASSISTIDA.

  • Creio que a dignidade seja um conceito fluido para cada um. As leis devem ser flexíveis a ponto de respeitar as escolhas humanas, sejam elas quais forem.

  • aqui em Portugal sei que o médico costuma perguntar...e em geral, a familia nunca falou com o paciente sobre isso.... :( mas pelo que conheço de leis nenhum medico pode obrigar a assinar .....

    mas vamos esperar Vânia ou alguem mais nos esclarecer...... mas penso que não pode NUNCA...

    Mas sei que no Brasil já houve situaçoes várias em que a familia queria e ....o medico "sugeria" empurrando para o não fazer, quase empurrando a familia a NÃO operar...... foi bastante dramatico!

    veja isso no tema Testamento Vital! estão lá testemunnhos disso...

  • Amigos,gostaria de deixar o meu comentário. O meu marido tem ELA, há mais ou menos 3 anos. há um ano esta totalmente dependente. Nunca havia ido para o hospital. Há dois meses precisou ser internado e saiu de lá com TRAQUEO e GASTRO. Ele não queria de jeito nenhum. Deixou por escrito que não queria nenhuma intervenção e nem ficar ligado a nenhum aparelho. Mas acabamos tendo que autorizar a traqueo. Me disseram que no Brasil quando o paciente fica mal no hospital o médico tem que fazer o que precisar para salvar a vida dele. Inclusive contra a sua vontade. E tem mais uma coisa. Não se trata de simplesmente não fazer a traqueo e o paciente morrer. O processo é demorado, A pessoa começa a passar mal e não se tem o que fazer a não ser autorizar a traqueo. Alguém sabe me dizer se o médico realmente pode fazer uma intervenção mesmo sem a autorização do paciente, se for para salvar sua vida

  • RIDNEY ME DESCULPA PORQUE SÓ AGORA VI ESTE PARAGRAFO QUE O SENHOR ESCREVEU!!!

    Ela queria mudar as leis para cometer suicídio assistido, com auxilio de pessoas da saúde por perto. Talvez tivesse medo de algo dar errado. Não sei. Sei, no entanto, que esta mulher não queria viver, mas morrer.

    NÃO É DE TODO IGUAL AO QUE ESCREVI...

    ISSO nossaaaa não quero para mim :D MAS TEMOS que respeitar ......mas é dificil!!!

    3560578087?profile=original

  • A oração que muitos rezam diz: Ave Maria ... Rogai por nos agora e na hora de nossa morte amem.

    Dignidade é poder ser diferente de todos quando entender a vez que não vale mais viver em certas condições...

    Dignidade é poder expressar suas últimas vontades e ser ouvido pelas familia e compreendido que não suporta mais viver.....pois chega o momento que se quer morrer

    Algumas coisas pesam e pesam muito, como ficar com o braço direito erguido, mesmo querendo, chega momento que vc não suporta mais ....

    Com a ausência de neurônios no corpo humano, qual é a motivação de vida?

    Tudo na VIDA tem a sua vez, inclusive a MORTE.

    Beijem seus pais e filhos como se fosse a ultima vez, todos os dias, e qd morrerem, saibam que fizeram a sua parte.

    Eu amei e por isso compreendi qd meu pai desistiu de viver. Mário Moreia Alves, 75 anos, os últimos 9 com ELA.
  • Minha esposa Marcia antes de partir sempre deixou muito claro que estar presa ao próprio corpo não lhe dava nenhum prazer em vivrr e pior ainda, ver as pessoas que a amavam tb sofrendo e tristes lhe faziam muito mal. Entendo que desistir de lutar tb é ter dignidade.
  • Querida Chantal,

    recomece!!!

    Com paciência, mas recomece!!!

    Beijinhos brasileiros.

    Vania

  • caracoles!! acabei de perder toooooooooodo o texto que estava a escrever à 15m..........

    estou na onda mas tenho que tudo recomeçar.............. :(

  • Fernanda e Ridney,

    falar sobre morte é difícil,

    mas nos ajuda a compreender melhor o que sentimos e pensamos sobre a vida.

    Não assisti o programa Ridney, mas achei muito importante da sua parte

    trazer o tema e refletirmos a respeito. 

    As pessoas se colocam diante da vida e da morte de um jeito diferente umas das outras.

    No entanto, falar sobre a morte proporciona crescimento para todos.

    Que possamos dar continuidade ao tema.

    Com afeto,

    Vania

This reply was deleted.