A FÁBULA-MITO DO CUIDADO ( Fábula de Higino)

"Certo dia, ao atravessar um rio, Cuidado viu um

pedaço de barro. Logo teve uma idéia inspirada. Tomou

um pouco de barro e começou a dar-lhe forma.

Enquanto contemplava o que havia feito, apareceu

Júpiter. Cuidado pediu-lhe que soprasse espírito nele. O

que Júpiter fez de bom grado. Quando, porém Cuidado

quis dar um nome à criatura que havia moldado, Júpiter

o proibiu. Exigiu que fosse imposto o seu nome.

Enquanto Júpiter e o Cuidado discutiam, surgiu, de

repente, a Terra. Quis também ela conferir o seu nome

à criatura, pois fora feita de barro, material do corpo da

terra. Originou-se então uma discussão generalizada.

De comum acordo pediram a Saturno que funcionasse

como árbitro. Este tomou a seguinte decisão que

pareceu justa: "Você, Júpiter, deu-lhe o espírito;

receberá, pois, de volta este espírito por ocasião da

morte dessa criatura. Você, Terra, deu-lhe o corpo;

receberá, portanto, também de volta o seu corpo

quando essa criatura morrer. Mas como você, Cuidado,

foi quem, por primeiro, moldou a criatura, ficará sob

seus cuidados enquanto ela viver. E uma vez que entre

vocês há acalorada discussão acerca do nome, decido

eu: esta criatura será chamada Homem, isto é, feita de

húmus, que significa terra fértil".

Fonte: 
Gaius Julius Hyginus, Fábula-mito do Cuidado, em Saber Cuidar - Ética do Humano, Compaixão pela Terra – Leonardo Boff.

Para adicionar comentários, você deve ser membro de ComunidadeELA-Brasil.

Join ComunidadeELA-Brasil

As repostas estão encerradas para esta discussão.