Comunidade ELA-Brasil

Espaço para reinventar a vida

ESPAÇO INTER-RELIGIOSO

Credo macro-ecumênico  

(Para ouvir a prece escrita pelo Prof. Pinheiro clique aqui)

***

OREMOS

18.01.2014

Ó Deus de Bondade,

Deus de Misericórdia e de Sabedoria,

por vezes nos sentimos fracos e desamparados.

Nós vos pedimos, fortaleça-nos na Fé.

Uma Fé Reta, Pura e Santa.

Amém

Padre Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

SALMOS 78

1. Escutai a minha lei, povo meu;

inclinai os vossos ouvidos às palavras da minha boca.

2. Abrirei a minha boca numa parábola;

falarei enigmas da antiguidade.

3. Os quais temos ouvido e sabido,

e nossos pais no-los têm contado.

4. Não os encobriremos aos seus filhos,

mostrando à geração futura os louvores do Senhor,

assim como a sua força e as maravilhas que fez.

5. Porque ele estabeleceu um testemunho em Jacó,

e pôs uma lei em Israel, a qual deu aos nossos pais

para que a fizessem conhecer a seus filhos;

6. Para que a geração vindoura a soubesse,

os filhos que nascessem, os quais se levantassem

e a contassem a seus filhos;

7. Para que pusessem em Deus a sua esperança,

e se não esquecessem das obras de Deus,

mas guardassem os seus mandamentos.

8. E não fossem como seus pais, geração contumaz e rebelde,

geração que não regeu o seu coração,

e cujo espírito não foi fiel a Deus.

9. Os filhos de Efraim, armados e trazendo arcos,

viraram as costas no dia da peleja.

10. Não guardaram a aliança de Deus,

e recusaram andar na sua lei;

11. E esqueceram-se das suas obras

e das maravilhas que lhes fizera ver.

12. Maravilhas que ele fez à vista

de seus pais na terra do Egito, no campo de Zoã.

13. Dividiu o mar, e os fez passar por ele;

fez com que as águas parassem como num montão.

14. De dia os guiou por uma nuvem,

e toda a noite por uma luz de fogo.

15. Fendeu as penhas no deserto;

e deu-lhes de beber como de grandes abismos.

16. Fez sair fontes da rocha, e fez correr as águas como rios.

17. E ainda prosseguiram em pecar contra ele,

provocando ao Altíssimo na solidão.

18. E tentaram a Deus nos seus corações,

pedindo carne para o seu apetite.

19. E falaram contra Deus, e disseram:

Acaso pode Deus preparar-nos uma mesa no deserto?

20. Eis que feriu a penha, e águas correram dela:

rebentaram ribeiros em abundância.

Poderá também dar-nos pão, ou preparar carne para o seu povo?

21. Portanto o Senhor os ouviu, e se indignou;

e acendeu um fogo contra Jacó,

e furor também subiu contra Israel;

22. Porquanto não creram em Deus,

nem confiaram na sua salvação;

23. Ainda que mandara às altas nuvens,

e abriu as portas dos céus,

24. E chovera sobre eles o maná para comerem,

e lhes dera do trigo do céu.

25. O homem comeu o pão dos anjos;

ele lhes mandou comida a fartar.

26. Fez soprar o vento do oriente nos céus,

e o trouxe do sul com a sua força.

27. E choveu sobre eles carne como pó,

e aves de asas como a areia do mar.

28. E as fez cair no meio do seu arraial,

ao redor de suas habitações.

29. Então comeram e se fartaram bem;

pois lhes cumpriu o seu desejo.

30. Não refrearam o seu apetite.

Ainda lhes estava a comida na boca,

31. Quando a ira de Deus desceu sobre eles,

e matou os mais robustos deles, e feriu os escolhidos de Israel.

32. Com tudo isto ainda pecaram,

e não deram crédito às suas maravilhas.

33. Por isso consumiu os seus dias na vaidade

e os seus anos na angústia.

34. Quando os matava, então o procuravam;

e voltavam, e de madrugada buscavam a Deus.

35. E se lembravam de que Deus era a sua rocha,

e o Deus Altíssimo o seu Redentor.

36. Todavia lisonjeavam-no com a boca,

e com a língua lhe mentiam.

37. Porque o seu coração não era reto para com ele,

nem foram fiéis na sua aliança.

38. Ele, porém, que é misericordioso, perdoou a sua iniqüidade;

e não os destruiu, antes muitas vezes desviou deles o seu furor,

e não despertou toda a sua ira.

39. Porque se lembrou de que eram de carne,

vento que passa e não volta.

40. Quantas vezes o provocaram no deserto,

e o entristeceram na solidão!

41. Voltaram atrás, e tentaram a Deus,

e limitaram o Santo de Israel.

42. Não se lembraram da sua mão,

nem do dia em que os livrou do adversário;

43. Como operou os seus sinais no Egito,

e as suas maravilhas no campo de Zoã;

44. E converteu os seus rios em sangue,

e as suas correntes, para que não pudessem beber.

45. Enviou entre eles enxames de moscas que os consumiram,

e rãs que os destruíram.

46. Deu também ao pulgão a sua novidade,

e o seu trabalho aos gafanhotos.

47. Destruiu as suas vinhas com saraiva,

e os seus sicômoros com pedrisco.

48. Também entregou o seu gado à saraiva,

e os seus rebanhos aos coriscos.

49. Lançou sobre eles o ardor da sua ira, furor, indignação,

e angústia, mandando maus anjos contra eles.

50. Preparou caminho à sua ira;

não poupou as suas almas da morte,

mas entregou à pestilência as suas vidas.

51. E feriu a todo primogênito no Egito,

primícias da sua força nas tendas de Cão.

52. Mas fez com que o seu povo saísse como ovelhas,

e os guiou pelo deserto como um rebanho.

53. E os guiou com segurança, que não temeram;

mas o mar cobriu os seus inimigos.

54. E os trouxe até ao termo do seu santuário,

até este monte que a sua destra adquiriu.

55. E expulsou os gentios de diante deles,

e lhes dividiu uma herança por linha,

e fez habitar em suas tendas as tribos de Israel.

56. Contudo tentaram e provocaram o Deus Altíssimo,

e não guardaram os seus testemunhos.

57. Mas retiraram-se para trás,

e portaram-se infielmente como seus pais;

viraram-se como um arco enganoso.

58. Pois o provocaram à ira com os seus altos,

e moveram o seu zelo com as suas imagens de escultura.

59. Deus ouviu isto e se indignou;

e aborreceu a Israel sobremodo.

60. Por isso desamparou o tabernáculo em Siló,

a tenda que estabeleceu entre os homens.

61. E deu a sua força ao cativeiro,

e a sua glória à mão do inimigo.

62. E entregou o seu povo à espada,

e se enfureceu contra a sua herança.

63. O fogo consumiu os seus jovens,

e as suas moças não foram dadas em casamento.

64. Os seus sacerdotes caíram à espada,

e as suas viúvas não fizeram lamentação.

65. Então o Senhor despertou, como quem acaba de dormir,

como um valente que se alegra com o vinho.

66. E feriu os seus adversários por detrás,

e pô-los em perpétuo desprezo.

67. Além disto, recusou o tabernáculo de José,

e não elegeu a tribo de Efraim.

68. Antes elegeu a tribo de Judá; o monte Sião, que ele amava.

69. E edificou o seu santuário como altos palácios,

como a terra, que fundou para sempre.

70. Também elegeu a Davi seu servo,

e o tirou dos apriscos das ovelhas;

71. E o tirou do cuidado das que se acharam prenhes;

para apascentar a Jacó, seu povo, e a Israel, sua herança.

72. Assim os apascentou, segundo a integridade do seu coração,

e os guiou pela perícia de suas mãos.

Padre Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

Salmos 111

Louvai ao SENHOR.

Louvarei ao SENHOR de todo o meu coração,

na assembléia dos justos e na congregação.

Grandes são as obras do SENHOR,

procuradas por todos os que nelas tomam prazer.

A sua obra tem glória e majestade,

e a sua justiça permanece para sempre.

Fez com que as suas maravilhas fossem lembradas;

piedoso e misericordioso é o SENHOR.

Deu mantimento aos que o temem;

lembrar-se-á sempre da sua aliança.

Anunciou ao seu povo o poder das suas obras,

para lhe dar a herança dos gentios.

As obras das suas mãos são verdade e juízo,

seguros todos os seus mandamentos.

Permanecem firmes para todo o sempre;

e são feitos em verdade e retidão.

Redenção enviou ao seu povo;

ordenou a sua aliança para sempre;

santo e tremendo é o seu nome.
O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria;

bom entendimento têm todos os que cumprem

os seus mandamentos;

o seu louvor permanece para sempre.

Padre Boanerges Waldemar Bueno

***

Padre Boanerges Waldemar Bueno

agradece o carinho e a oração de todos.

Tudo correu como o previsto na cirurgia e ele está muito bem!

Deixou para vocês o Salmo 105

01.07.2013

Salmos 105

Deem graças ao Senhor, proclamem o seu nome;

divulguem os seus feitos entre as nações.

Cantem para ele e louvem-no;

relatem todas as suas maravilhas.

Gloriem-se no seu santo nome;

alegre-se o coração dos que buscam o Senhor.

Recorram ao Senhor e ao seu poder;

busquem sempre a sua presença.

Lembrem-se das maravilhas que ele fez,

dos seus prodígios e das sentenças de juízo que pronunciou,

ó descendentes de Abraão, seu servo,

ó filhos de Jacó, seus escolhidos.

Ele é o Senhor, o nosso Deus;

seus decretos são para toda a terra.

Ele se lembra para sempre da sua aliança,

por mil gerações, da palavra que ordenou,

da aliança que fez com Abraão, do juramento que fez a Isaque.

Ele o confirmou como decreto a Jacó,

a Israel como aliança eterna, quando disse:

"Darei a você a terra de Canaã, a herança que lhe pertence".

Quando ainda eram poucos, um punhado de peregrinos na terra,

e vagueavam de nação em nação, de um reino a outro,

ele não permitiu que ninguém os oprimisse,

mas a favor deles repreendeu reis, dizendo:

"Não toquem nos meus ungidos; não maltratem os meus profetas".

Ele mandou vir fome sobre a terra e destruiu todo o seu sustento;

mas enviou um homem adiante deles,

José, que foi vendido como escravo.

Machucaram-lhe os pés com correntes

e com ferros prenderam-lhe o pescoço,

até cumprir-se a sua predição,

e a palavra do Senhor confirmar o que dissera.

O rei mandou soltá-lo, o governante dos povos o libertou.

Ele o constituiu senhor de seu palácio

e administrador de todos os seus bens,

para instruir os seus oficiais como desejasse

e ensinar a sabedoria às autoridades do rei.

Então Israel foi para o Egito,

Jacó viveu como estrangeiro na terra de Cam.

Deus fez proliferar o seu povo,

tornou-o mais poderoso do que os seus adversários,

e mudou o coração deles para que odiassem o seu povo,

para que tramassem contra os seus servos.

Então enviou seu servo Moisés, e Arão, a quem tinha escolhido,

por meio dos quais realizou os seus sinais miraculosos

e as suas maravilhas na terra de Cam.

Ele enviou trevas, e houve trevas,

e eles não se rebelaram contra as suas palavras.

Ele transformou as águas deles em sangue,

causando a morte dos seus peixes.

A terra deles ficou infestada de rãs, até mesmo os aposentos reais.

Ele ordenou, e enxames de moscas e piolhos invadiram o território deles.

Deu-lhes granizo, em vez de chuva,

e raios flamejantes por toda a terra deles;

arrasou as suas videiras e figueiras

e destruiu as árvores do seu território.

Ordenou, e vieram enxames de gafanhotos,

gafanhotos inumeráveis, e devoraram toda a vegetação daquela terra,

e consumiram tudo o que a lavoura produziu.

Depois matou todos os primogênitos da terra deles,

todas as primícias da virilidade deles.

Ele tirou de lá Israel, que saiu cheio de prata e ouro.

Não havia em suas tribos quem fraquejasse.

Os egípcios alegraram-se quando eles saíram,

pois estavam com verdadeiro pavor dos israelitas.

Ele estendeu uma nuvem para lhes dar sombra,

e fogo para iluminar a noite.

Pediram, e ele enviou codornizes, e saciou-os com pão do céu.

Ele fendeu a rocha, e jorrou água,

que escorreu como um rio pelo deserto.

Pois ele se lembrou da santa promessa que fizera ao seu servo Abraão.

Fez sair cheio de júbilo o seu povo,

e os seus escolhidos, com cânticos alegres.

Deu-lhes as terras das nações,

e eles tomaram posse do fruto do trabalho de outros povos,

para que obedecessem aos seus decretos

e guardassem as suas leis.

Aleluia!

Padre Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

25.05.2013

Oremos,

uns pelos outros!

Deus de Bondade,

de Misericórdia

e de Sabedoria.

Vós que mostrais

a Luz da Verdade aos que erram

Dá-nos um coração novo,

para entender os Vossos Propósitos.

Padre Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

 ***

OREMOS

17.05.2013

Oremos,

uns pelos outros!

Deus de Bondade,

de Misericórdia e de Sabedoria,

Vós que ministrais

a Luz da Verdade aos que erram.

Dá-nos um coração novo

para podermos crescer na Fé!!

Uma Boa e Abençoada Semana.
Fraternal abraço,

Padre Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

15.04.2013

Oremos,

uns pelos outros!

Deus de Bondade, de Misericórdia,

de Sabedoria.

Vós que mostrais a Luz da Verdade

aos que erram

para que possam voltar ao bom caminho,

concedei a todos

Uma Boa e Abençoada Semana!

Padre Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

08.04.2013

Oremos

uns pelos outros!

Deus de Bondade, de Misericórdia

e de Sabedoria.

Fazei-nos proclamar

o Poder do Cristo Ressuscitado,

para recebermos os Vossos Dons.

Tenha uma boa e abençoada semana.

Padre Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

24.03.2013

Oremos,

uns pelos outros!

Deus da Bondade,

Misericórdia

e Sabedoria.

Não fiqueis longe de mim!

Sois minha força

e minha proteção.

Correi em meu socorro!

Um bom e abençoado domingo.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

* * *

OREMOS

Oremos,

uns pelos outros!

Deus de Bondade, Misericórdia e Sabedoria,

Dai-nos, por Vossa Graça Inefável,

Concedei-nos passar da antiga à nova vida,

preparando-nos assim para o Reino da Glória.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

Significado da Cerimônia de Cinzas

A Igreja nos indica, nas orações recitadas por seus ministros,

o significado da cerimônia das Cinzas:

"Ó Deus, que não quereis a morte do pecador mas a sua conversão,

escutai com bondade as nossas preces e dignai-vos abençoar

estas cinzas que vamos colocar sobre as nossas cabeças.

E assim reconhecendo que somos pó e que ao pó voltaremos,

consigamos, pela observância da Quaresma,

obter o perdão dos pecados e viver uma vida nova à semelhança do

Cristo ressuscitado". É, pois, a penitência que a Igreja

nos quer ensinar pela cerimônia deste dia.

Já no Antigo Testamento os homens cobriam-se de cinzas

para exprimir sua dor e humilhação, como se pode ler no livro de Jó.

Nos primeiros séculos da Igreja os penitentes públicos

apresentavam-se nesse dia ao bispo ou penitenciário:

pediam perdão revestidos de um saco, e como sinal de sua

contrição cobriam a cabeça de cinzas. Mas como todos

os homens são pecadores, diz santo Agostinho,

essa cerimônia estendeu-se a todos os fiéis,

para lhes recordar o preceito da penitência.

Não havia exceção alguma: pontífices, bispos, sacerdotes, reis,

almas inocentes, todos se submetiam a essa humilhante

expressão de arrependimento.

Tenhamos os mesmos sentimentos:

deploremos as nossas faltas ao recebermos das mãos

do ministro de Deus as cinzas bentas pelas orações da Igreja.

Quando o sacerdote nos disser "lembra-te que és pó, e ao pó hás de

tornar", ou "convertei-vos e crede no Evangelho",

enquanto impõe as cinzas, humilhemos o nosso espírito

pelo pensamento da morte que, reduzindo-nos ao pó,

nos porá sob os pés de todos. Assim dispostos, longe de lisonjearmos o

nosso corpo destinado à dissolução, decidir-nos-emos

a tratá-lo com dureza, a refrear o nosso paladar, os nossos olhos,

os nossos ouvidos, a nossa língua, todos os sentidos;

a observar, o mais possível, o jejum e a abstinência que a

Igreja nos prescreve.

Meu Deus, inspirai-me verdadeiros sentimentos de humildade,

pela consideração do meu nada, ignorância e corrupção.

Dai-me o mais vivo arrependimento das minhas iniquidades,

que feriram vossas perfeições infinitas, contristaram vosso

coração de pai, crucificaram vosso Filho dileto, e me causaram um mal

maior do que a perda da vida do corpo, pois que o pecado mortal é a

morte da alma e nos expõe a uma morte eterna.

A Igreja sempre admoestou os fiéis a não nos se contentarem

com sinais externos de penitência, mas a lhe beberem o espírito

e os sentimentos. Jejuemos, diz ela, como o Senhor deseja,

mas acompanhemos o jejum com lágrimas de arrependimento,

prosternando-nos diante de Deus e deplorando a nossa ingratidão na

amargura dos nossos corações. Mas essa contrição,

para ser proveitosa, deve ser acompanhada de confiança.

Por isso a Igreja sempre nos lembra que nosso Deus

é cheio de bondade e misericórdia, sempre pronto a perdoar-nos,

o que é um forte motivo para esperarmos firmemente a

remissão das nossas faltas, se delas nos arrependermos.

Deus não despreza jamais um coração contrito e humilhado.

A liturgia termina exortando-nos a tomarmos generosas resoluções

confiando em Deus: "Pecamos, Senhor, porque nos esquecemos de vós.

Voltemo-nos logo para o bem, sem esperar que a morte chegue e

que já não haja tempo. Ouvi-nos, Senhor, tende piedade,

porque pecamos contra vós. Ajudai-nos, ó Deus salvador,

pela glória do vosso nome libertai-nos". O pensamento da morte

convida-nos ainda a viver mais santamente,

e quão eficaz é essa recordação!

À borda do túmulo e à porta do tribunal supremo,

quem ousaria enfrentar o seu Juiz, ofendendo-o

e recusando o arrependimento ou vivendo na negligência,

tibieza e relaxamento? Colocai-vos em espírito em vosso leito de morte

e armai-vos dos sentimentos de compunção que então quereríeis ter.

Depositai vossa confiança na misericórdia divina,

nos méritos de Jesus e na intercessão da divina Mãe.

Prometei ainda ao Senhor:

- 1º de cortar aos vossos pensamentos, conversas

e procedimento tudo o que lhe desagrada;

- 2º de viver quanto possível na solidão, no silêncio e, sobretudo,

no recolhimento interior que favorece em vosso espírito a oração

e vos separa de tudo que não é Deus.

Adaptado de Quarta-Feira de Cinzas,

em Meditações para todos os dias do ano.

Pe. Luís Bronchain CSSR, Petrópolis, Editora Vozes, 1949

(2ª edição em português, pag. 132-134)

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

O QUE É A QUARESMA?

A quaresma é o tempo litúrgico de conversão,

que a Igreja marca para nos preparar

para a grande festa da Páscoa.

É tempo para nos arrepender de nossos pecados

e de mudar algo de nós para sermos melhores

e poder viver mais próximos de Cristo.


A Quaresma dura 40 dias;

começa na Quarta-feira de Cinzas

e termina no Domingo de Ramos.

Ao longo deste tempo, sobretudo na liturgia do domingo,

fazemos um esforço para recuperar o ritmo e estilo de verdadeiros fiéis

que devemos viver como filhos de Deus.


A cor litúrgica deste tempo é o roxo,

que significa luto e penitência.

É um tempo de reflexão, de penitência, de conversão espiritual;

tempo e preparação para o mistério pascal.

Na Quaresma, Cristo nos convida a mudar de vida.

A Igreja nos convida a viver a Quaresma como um caminho a Jesus Cristo,

escutando a Palavra de Deus, orando, compartilhando com o próximo

e praticando boas obras. Nos convida a viver uma série de atitudes cristãs

que nos ajudam a parecer mais com Jesus Cristo,

já que por ação do pecado, nos afastamos mais de Deus.


Por isso, a Quaresma é o tempo do perdão e da reconciliação fraterna.

Cada dia, durante a vida, devemos retirar de nossos corações o ódio,

o rancor, a inveja, os zelos que se opõem

a nosso amor a Deus e aos irmãos.

Na Quaresma, aprendemos a conhecer e apreciar a Cruz de Jesus.

Com isto aprendemos também a tomar nossa cruz

com alegria para alcançar a glória da ressurreição.

40 DIAS

A duração da Quaresma está baseada no

símbolo do número quarenta na Bíblia.

Nesta, é falada dos quarenta dias do dilúvio,

dos quarenta anos de peregrinação do povo judeu pelo deserto,

dos quarenta dias e Moisés e de Elias na montanha,

dos quarenta dias que Jesus passou no deserto

antes de começar sua vida pública,

dos 400 anos que durou o exílio dos judeus no Egito.

Na Bíblia, o número quatro simboliza o universo material,

seguido de zeros significa o tempo de nossa vida na terra,

seguido de provações e dificuldades.

A prática da Quaresma data desde o século IV,

quando se dá a tendência a constituí-la em tempo de penitência

e de renovação para toda a Igreja, com a prática do jejum

e da abstinência.

Conservada com bastante vigor, ao menos em um princípio,

nas Igrejas do oriente, a prática penitencial da Quaresma

tem sido cada vez mais abrandada no ocidente,

mas deve-se observar um espírito penitencial e de conversão.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

27.01.2013

Muito bom dia!
Oremos uns pelos outros.
Deus eterno e todo-poderoso,
dirigi a nossa vida segundo o vosso amor,
para que possamos, em nome do vosso Filho,
frutificar em boas obras.
Uma Boa e Abençoada Semana.
Fraternal abraço,

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

19.01.2013

Oremos irmãos,

uns pelos outros.

Despertai, Ó Senhor Deus,

o Vosso Amor em nossas preces,

dai-nos a compreensão

dos nossos deveres

e força para cumpri-los.

Amém.

Um bom e abençoado final de semana.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

13.01.2013

Oremos irmãos,

uns pelos outros.

Despertai, Ó Senhor Deus,

o Vosso Amor em nós,

escutai com bondade as preces de vossos filhos

e dai-nos Paz e a Prosperidade que tanto buscamos.

Amém.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

11.01.2013

Oremos irmãos, uns pelos outros.

Despertai, Ó Senhor Deus,

o Vosso Amor em nós,

e concedei a Vossa alegria 

aqueles que Vos procuram na Fé,

na Esperança e na Caridade!

Amém.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

09.01.2013

OREMOS irmãos, uns pelos outros.

Despertai, Ó Senhor Deus, 

o Vosso Amor em nós,

para que Vossa Proteção

nos afaste de todos os perigos,

materiais e espirituais,

visíveis e invisíveis.

Amém.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

08.01.2013

Oremos irmãos,

uns pelos outros.

Despertai, Ó Senhor Deus,

o Vosso Amor em nós

para que sejamos transformados interiormente

e encontremos a Paz que tanto procuramos.

Amém.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

07.01.2013

Oremos irmãos, uns pelos outros.

Despertai, Ó Senhor Deus,

o Vosso Amor em nós,

para  que o esplendor da Vossa Glória,

ilumine os nossos corações

e possamos passar pelas adversidades desta vida

e encontrarmos a Vossa Luz.

Amém.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

06.01.2013

Oremos irmãos,

uns pelos outros.

Despertai, Ó Senhor Deus,

o Vosso Amor em nós.

Vinde em Meu Auxílio

e Socorrei-me sem demora!

Amém.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

06 de janeiro é o “Dia dos Santos Reis” (com oração)

O “Dia de Reis”, ou “Dia dos Santos Reis” comemorado em 06 de janeiro é o dia que Jesus Cristo

recém-nascido recebeu a visita de três Reis Magos, vindos do oriente.

A noite do dia 5 de janeiro e madrugada do dia 6 é conhecida como “Noite de Reis”.

A data marca, para os católicos, o dia para a veneração aos Reis Magos, que a tradição surgida no século VIII

converteu nos santos Belchior, Gaspar e Baltazar.

Os Santos Reis trazem ouro, incenso e mirra ao menino Jesus

A história dos Reis Magos diz que eles esperavam pelo Salvador. Deus os recompensou pela retidão com uma maravilhosa estrela guia, reconhecida pela sabedoria de suas mentes como o sinal a ser seguido, para orientação dos seus passos até onde se achava o Menino Jesus.

Foram eles que mostraram ao mundo o cumprimento da profecia de séculos, chegando no palácio do rei Herodes, de surpresa e perguntando “pelo Messias, o recém-nascido rei dos judeus”. Nesta época aquele tirano reprimia a população pelo medo, com ira sanguinária. Mas os Reis Magos não o temeram, prosseguiram sua busca e encontraram o Menino Jesus.

A Bíblia diz que os Reis Magos chegaram à casa e viram o Menino Jesus com sua Mãe. Isto porque José já tinha providenciado uma moradia muito pobre, mas mais apropriada, do que a gruta de Belém onde Jesus nascera. Ali, os reis magos, depois de adorar o Messias, entregaram os presentes: ouro, incenso e mirra. O ouro, significa a realeza de Jesus; o incenso, sua essência divina e a mirra, sua essência humana. Prestada a homenagem, voltaram para suas nações, evitando novo contato com Herodes, como lhes indicou o anjo do Senhor.

Fim dos festejos do Natal

No dia 06 de janeiro termina para os católicos os festejos natalícios; sendo o dia em que são desarmados os presépios e árvores de natal e por conseguinte são retirados todos os enfeites natalícios.

A Folia de Reis

A “Folia de Reis” é uma festa religiosa católica de origem portuguesa, que chegou ao Brasil no século XVIII. Em Portugal, em meados do século XVII, tinha a principal finalidade de divertir o povo, enquanto aqui no Brasil, passou a ter um caráter mais religioso do que de diversão.

No período de 24 de dezembro, véspera de Natal, a 6 de janeiro, “Dia de Reis”, um grupo de cantadores e instrumentistas percorre a cidade entoando versos relativos à visita dos Reis Magos ao Menino Jesus. Passam de porta em porta em busca de oferendas, que podem variar de um prato de comida a uma simples xícara de café.

A Folia de Reis, herdada dos colonizadores portugueses e desenvolvida aqui com características próprias, é manifestação de rara beleza. Os preciosos versos são preservados de geração em geração por tradição oral.

Oração aos Reis Magos


Oração para alcançar graças dos Reis Magos

Ó amabilíssimos Santos Reis, Baltazar, Melquior e Gaspar!

Fostes vós avisados pelos Anjos do Senhor sobre a vinda ao mundo de Jesus, o Salvador,

e guiados até o presépio de Belém de Judá, pela Divina Estrela do Céu.

Ó amáveis Santos Reis, fostes vós os primeiros a terem a ventura de adorar,

amar e beijar a Jesus Menino,

e oferecer-lhe a vossa devoção e fé, incenso, ouro e mirra.

Queremos, em nossa fraqueza, imitar-vos, seguindo a Estrela da Verdade.

E descobrindo a Menino Jesus, para adorá-lo.

Não podemos oferecer-lhe ouro, incenso e mirra, como fizestes.

Mas queremos oferecer-lhe o nosso coração contrito e cheio de fé católica.

Queremos oferecer-lhe a nossa vida, buscando vivermos unidos à sua Igreja.

Esperamos alcançar de vós a intercessão para receber de Deus a graça que tanto necessitamos.

(Em silêncio fazer o pedido).

Esperamos, igualmente, alcançarmos a graça de sermos verdadeiros cristãos.

Ó bondosos Santos Reis, ajudai-nos, amparai-nos, protegei-nos e iluminai-nos!

Derramai vossas bênçãos sobre nossas humildes famílias, colocando-nos debaixo de vossa proteção,

da Virgem Maria, a Senhora da Glória, e São José.

Nosso Senhor Jesus Cristo, o Menino do Presépio, seja sempre adorado e seguido por todos.

Amém!

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***
OREMOS

05.01.2013

Oremos irmãos, uns pelos outros.

Despertai, Ó Senhor Deus,

o Vosso Amor e

Sede a Luz dos Vossos Filhos,

para termos uma Fé inabalável.

Amém.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

04.01.2013

Despertai em Nós,

Ó Senhor Deus,

o Vosso Amor,

e Sede a Luz dos Vossos Filhos

e Abrasai seus Corações com o

Esplendor da Vossa Glória.

Amém.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

SANTÍSSIMO NOME DE JESUS !

(3 de Janeiro de 2013)

***********

A palavra Jesus, deriva do Hebraico Yesua, e significa Javé é a Salvação.

Este nome foi anunciado pelo anjo da Anunciação, que disse a Maria :

- Hás-de conceber no teu seio e dar à luz um filho, ao qual porás o

nome de Jesus”. (Lc. 1,31).

A festa do Santíssimo Nome de Jesus celebrava-se, antes da Revisão do Calendário da Igreja, no Domingo a seguir à oitava do Natal, isto

é, entre o dia 1 e 6 de Janeiro.

Se neste período de tempo não havia nenhum Domingo, celebrava-se no dia 2 de Janeiro. Esta festa foi primeiramente celebrada no século XV no Norte da Europa, Alemanha, Bélgica,  Inglaterra e Escócia e depois foi estendida ao calendário da Igreja Universal pelo papa Inocêncio XIII (1721-1741). Ultimamente foi suprimida da lista das festas tradicionais do Senhor, na Revisão do Calendário da Igreja por Paulo VI depois do Concílio Vaticano II. Todavia permanece a ideia e o sentido, uma vez que quem louva e respeita o Santíssimo Nome de Jesus, presta-Lhe a sua homenagem, e S. Paulo deu-nos o exemplo na sua carta aos Filipenses :

- Por isso é que Deus O exaltou e Lhe deu um Nome que está acima de todo o nome, para que ao Nome de Jesus, todo o joelho se dobre nos Céus, na Terra e nos Infernos e toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor para glória de Deus Pai”. (Filip.2,10-11).

Para o nome de Jesus usa-se este monograma IHS que aparece muitas vezes em artigos religiosos, vestes litúrgicas, na arte e na literatura religiosas e até impresso nas hóstias para a Comunhão ou Exposição do SS. Sacramento. Este Monograma, que data já do século VIII, significa Jesus porque é formado pelas três primeiras letras do nome de Jesus escrito em grego :

- Iota I, Eta H, Sigma S = IHSOUS

Mais tarde, na Idade Média (Século XV) este monograma foi largamente difundido por S. João Capristano e S. Bernardino de Sena, mas depois começaram a aparecer outras interpretações piedosas que foram atribuídas a estas três iniciais IHS, tais como :

* Iesus Hominum Salvator (Jesus Salvador dos Homens).

* In Hoc Signo (vinces). (Por este sinal Vencerás).

* I Have Suffered.( Interpretação inglesa que significa Eu tenho Sofrido).

O nome de Jesus foi também acrescentado à Ave Maria e,

os crentes são exortados a que façam uma inclinação de cabeça, ao pronunciarem o

Santíssimo Nome de Jesus.

********************

Qualquer outra interpretação que tenha aparecido

ou venha ainda a aparecer, será sempre de carácter piedoso.

+Mons. Boanerges Waldemar Bueno
" Pugna Reintegratio Fraternalis,
Caritas Dei Patris"

***

OREMOS

03.01.2013

Despertai em Nós,

Ó Senhor Deus,

o Vosso Amor

e pelo nascimento de Vosso Filho,

concedei ao Vosso Povo,

conhecer a Glória

e por Ele chegar a Luz

que não se extingue!

Amém

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

24.12.2012

Despertai Ó Deus,

o Vosso Poder em Nós.

Ajudai a todos,

e Ide ao encontro daqueles que,

mesmo sem saber, Vos Espera!

Amém

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

23.12.2012

Despertai ó Deus,

o Vosso Poder em Nós,

Cumulai-nos de toda

Alegria e Paz em nossa Fé!

Um bom e abençoado domingo!

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

22.12.2012

Despertai Ó Deus,

 o Vosso Poder em Nós,

e fazei que acolhamos uns aos outros,

como Cristo nos acolheu

para a Vossa Glória.

Amém

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

19.12.2012

Despertai Ó Deus,

o Vosso Poder em Nós,

e Santificai

o nosso Espírito,

nossa Alma

e o nosso Corpo,

guardai-nos de todos os perigos.

Amém.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

16.12.2012

Despertai 

Ó Deus, o Vosso Poder em Nós,

e Santificai o nosso Espírito,

nossa Alma e o nosso Corpo,

guardai-nos irrepreensíveis

para a Vinda de Vosso Filho.

Amém.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

13.12.2012

Despertai

Ó Deus

o Vosso Poder em Nós,

para que possamos

redescobrir os valores

da fraternidade!

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

08.12.2012

Despertai ó Deus,

o Vosso Poder

em nós,

para que possamos,

cada vez mais cumprir a nossa missão.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático 

***

OREMOS

06.12. 2012

Despertai, ó Deus,

o Vosso Poder e

Socorrei-me com a Vossa Força

em todas as nossas dificuldades!

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

AJUDA-ME NA MINHA FALTA DE FÉ!

05.12.2012

                Um pai desesperado. Um filho sofrendo com um espírito imundo em seu corpo. Uma história de dor que perdura há anos. Nenhuma solução. Nenhum alívio. Só sofrimento.

                Então esse pai procurou os discípulos de Jesus. “Quem sabe?” ele deve ter pensado. Talvez, através da instrumentalidade daqueles que estavam tão perto de Jesus, o seu filho poderia ser libertado do poder daquele demônio. Desilusão. Abatimento. Os discípulos não puderam ajudá-lo.

                Então Ele surge. Está vindo do monte com três outros discípulos. A multidão corre em sua direção. “É Jesus! Quem sabe, não seja agora?” Seus braços mal conseguem carregar seu filho sofredor, mas esse pai é perseverante. Agora ele está diante de Jesus. “Há quanto tempo está assim?” pergunta o Senhor àquele homem. “Desde a infância. Mas se o Senhor pode nos ajudar, ajuda-nos!” clama o pai do menino. “Se posso? Tudo é possível àquele que crê!” respondeu Jesus. “Eu creio, mas ajuda-me na minha falta de fé!”

                Aquele homem cria, mas julgava que não tinha fé o bastante para ver o seu filho curado. Ele estava sendo honesto com o Senhor. Ele também pedia ajuda para si. Precisava experimentar a fé salvadora. Ele não sabia que estava diante do Autor e Consumador da nossa fé. Então os seus olhos testemunham o milagre. Jesus expulsa o espírito imundo do corpo do seu filho. O Senhor levanta o menino e o entrega a seu pai. Alegria. Alívio. Gratidão.

                Tudo é possível àquele que crê em Jesus como seu Senhor e Salvador da sua vida. Essa prova de fé marcaria o coração daquele pai pelo resto da sua vida. Tudo é possível.

                Essa história está registrada no Evangelho segundo Marcos, capítulo 9. O Evangelho é a Palavra de Deus e por isso tem o poder de falar aos nossos corações hoje. Jesus é o mesmo ontem, hoje e sempre. O milagre que Ele realizou na vida daquele menino pode ser repetido hoje, na sua vida, caro leitor. Ou na vida de seu ente querido. Tudo é possível àquele que crê.

                Você não tem mais a quem recorrer para ajudá-lo? Você já buscou todos os meios possíveis para livrar-se dessa história de dor e de sofrimento, mas nada adiantou até agora? Tudo é possível àquele que nele crê. Entregue o seu coração a Jesus e o demais Ele o fará.

Pastor Alberto Kenji Yamabuchi

Igreja Batista Vila Gerty

***

OREMOS

04.12.2012

Sede propício ó Deus,

às nossas súplicas

e auxilia-nos em nossa atribulação.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno 

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

03.12.2012

Levantai ó Senhor Deus,

o ânimo de vossos filhos e filhas

para que aproveitando melhor as vossas Graças,

possam encontrar prosperidade espiritual e material.

Monsenhor Boanerges Waldemar Bueno

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

02.12.2012

Ó Deus Todo Poderoso.

Meu Deus, concedei a nós todos

o ardente desejo de possuir o Reino Celeste,

para que sejamos reunidos com

Cristo numa só comunidade!

Monsenhor Boanerges Waldemar  Bueno 

Instituto Católico Carismático

***

OREMOS

01.12.2012

Oh! Deus que iluminais os corações

dos vossos fiéis com as luzes do

Espírito Santo, concedei-nos que

no mesmo Espírito saibamos o que é reto,

e gozemos sempre das

Vossas Consolações!

Monsenhor Boanerges Waldemar  Bueno 

Instituto Católico Carismático

***

DIÁRIO DEVOCIONAL

27 DE JANEIRO

Você até pode ouvir muitos “nãos”; a diferença é se vai acatá-la ou não.

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal

em 27 janeiro 2017 às 6:24

DIÁRIO DEVOCIONAL

25 DE JANEIRO

Pessoas que se submetem aos obstáculos, as opiniões nunca saem do lugar.

Não aceite que pessoas dite regras a você.

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministério Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal

em 25 de janeiro 2017 às 13h53

DIÁRIO DEVOCIONAL

24 de JANEIRO

O cristão que não houve a voz de Deus não está com ele há muito tempo.

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal

 24 janeiro 2017 às 6:34

DIÁRIO DEVOCIONAL

23 DE JANEIRO

Não olhe para trás. Deus não está lá!

... esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando pra as que estão adiante,

Prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de deus em Cristo Jesus.

(Filipenses 3.13 e 14).

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal

em 23 janeiro 2017 às 6:42 

 

DIÁRIO DEVOCIONAL

22 DE JANEIRO

Um cristão corajoso é aquele que confessa, que admite o erro; não aquele que vive jogando o lixo para debaixo do tapete.

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal

  em 22 janeiro 2017 às 20:54 

 

DIÁRIO DEVOCIONAL

20 DE JANEIRO

É inútil carregar um título de pastor, bispo, apóstolo, reverendo, obreiro senão houver vida diária com Deus.

Não se apegue a títulos e status. Tenha um relacionamento verdadeiro com Deus. Um relacionamento íntimo, profundo e pessoal.

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal 

em 20 janeiro 2017 às 5:47

DIÁRIO DEVOCIONAL

18 DE JANEIRO

Você não chegará ao destino certo se estiver na estrada errada. Se entrou pela estrada errada, pegue o retorno e tome o rumo certo. Comece agora a agir a fé em Jesus Cristo. Ele está pronto para mudar sua vida!Creia nisso!

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal  

 em 18 janeiro 2017 às 7:14 

DIÁRIO DEVOCIONAL

17 DE JANEIRO

Pare de dar idéias ao diabo; ele já é criativo demais.

Dê passos de fé e liberte-se do medo. 

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal   

em 16 janeiro 2017 às 23:06 — 1 Comentário

 

DIÁRIO DEVOCIONAL

16 JANEIRO

Você não pode aceitar ser um evangélico “ piegas”, que faz caras e bocas, que vive uma pantomima.

Você tem de ser um cristão nascido Espírito Santo.

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal  

em 16 janeiro 2017 às 22:31 

DIÁRIO DEVOCIONAL

15 DE JANEIRO

Pessoas fingidas são inconstantes; pessoas inconstantes têm um coração fingido. Seja verdadeiro, honesto, íntegro,. Fale a verdade sempre, mesmo que machuque. Seja do Sim, sim; Não, não!

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal 

em 15 janeiro 2017 às 12:18 

 

DIÁRIO DEVOCIONAL

12 DE JANEIRO

O que dá esperança a você?

Traga à memória aquilo que lhe dá esperança.Preste atenção no que está pensando.Alimente pensamentos que edificam sua vida durante o dia. Recuse-se a pensar errado.

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal 

em 12 janeiro 2017 às 6:42

DIÁRIO DEVOCIONAL

11 DE JANEIRO

Somos tentados o tempo todo e não nos damos conta disso. O mundo quer que cedamos a ele.

Faça do “servir a Deus” um estilo de vida. Ceda a Deus, não aos pensamentos e sentimentos mundanos.

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal 

11 janeiro 2017 às 6:52

DIÁRIO DEVOCIONAL

10 DE JANEIRO

Simplifique seus pensamentos para que as coisas sejam simplificadas na sua vida.

Renove a sua mente diariamente. A mente é sua, a cabeça é sua; cabe a você mudar o modo de pensar. Mude seu espírito hoje!Mude sua maneira de pensar agora!

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal 

em 10 janeiro 2017 às 6:57

DIÁRIO DEVOCIONAL

9 DE JANEIRO

A fé muda situações. Passos de fé, com a direção de Deus, pode revolucionar vidas. Aquilo que não é comum acontecer, passará a ser. Acredite!

A fé viva leva-nos a lugares altíssimos!

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Contribuição de Milena Mocchegiani Vidal 

em 9 janeiro 2017 às 6:41 

Comentar

Você precisa ser um membro de Comunidade ELA-Brasil para adicionar comentários!

Entrar em Comunidade ELA-Brasil

Comentário de Sergio Rosa em 14 maio 2017 às 13:34

Ogum, o senhor dos caminhos.

“Eu tenho 7 espadas pra me defender,
eu tenho Ogum em minha companhia”
 
No dia 23 de Abril reverenciamos o senhor Ogum, Orixá vencedor de demanda que abre nossos caminhos e nos protege contra todo o mal.
Como um nobre guerreiro, sua energia nos impulsiona a vencer os obstáculos da vida com vigor e determinação, dando coragem para mudarmos intimamente e olharmos as situações de forma otimista. Os soldados de Ogum que veem até a Terra, nos ensinam a importância de “olhar e vigiar” nossos pensamentos, pois nossa força está em reconhecer nossos pontos fracos e evitar cair nas armadilhas das ilusões, que nos levam a cometer erros rotineiros e baixam nossa energia.
Como no ponto cantado “Eu tenho 7 espadas pra me defender, eu tenho Ogum em minha companhia”, temos a certeza que ele evitará todo o mal, pois está junto de nós. Não podemos temer as batalhas da vida, mas é essencial vestirmos a armadura da fé e acreditarmos que a vida será de muitas vitórias.
Saravá o senhor dos caminhos. Patacori Ogum!

Fonte: Casa de Pai Benedito de Aruanda - casadepaibenedito.blogspot.com
Comentário de Milena Mocchegiani Vidal em 13 fevereiro 2017 às 6:47

DIÁRIO DEVOCIONAL

12 DE FEVEREIRO

A pureza de coração precisa ser trabalhada diariamente dentro de nós. Muitos de nós não a possuímos.

Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova dentro de mim um espírito estável (Salmos 51.10)

13 DE FEVEREIRO

Deus procura pessoas com o coração puro para abençoá-la.

O Senhor recompensou-me segundo a minha retidão, segundo a pureza das minhas mão e perante ele (2 Samuel 22.5)

Rossafa, Cleo, 1969

Muito Bom Dia para Você

Ed. Ministerio Mudança de Vida, 2016

Comentário de Sergio Rosa em 20 dezembro 2015 às 23:15

A seguir: O NATAL DO APÓSTOLO -(DIVIDIDO EM TRÊS PARTES) EXTRAÍDO DE ESPIRITISMO COMENTADO - fonte: https://www.facebook.com/groups/espiritismocomentado/permalink/5549...

O Natal do apóstolo I, II, III
(Quando Simão Pedro foi arrancado aos grilhões do cárcere para o derradeiro sacrifício)
Antologia mediúnica do Natal — Autores diversos -

Comentário de Sergio Rosa em 20 dezembro 2015 às 23:11

O Natal do apóstolo I
(Quando Simão Pedro foi arrancado aos grilhões do cárcere para o derradeiro sacrifício)
Antologia mediúnica do Natal — Autores diversos -https://www.facebook.com/groups/espiritismocomentado/permalink/5549...

1 Quando Simão Pedro foi arrancado aos grilhões do cárcere para o derradeiro sacrifício, sentia o coração varado de angústia, conquanto mostrasse o passo firme.
2 O velho apóstolo, que transpusera os oitenta de idade, levantava a cabeça branca, destacando-se na turba à maneira de um pai atormentado por filhos inconscientes.
3 Irmãos do Evangelho ladeavam-no, tristes, escondendo o próprio desespero, diante da serenidade com que ele, encanecido em duras experiências, se acomodava ao martírio.
4 Mulheres e crianças emaranhavam-se, cortejo a dentro, para beijar-lhe as mãos.
5 Transeuntes, ainda mesmo adversos ao Cristianismo nascente, fitavam-no, respeitosos, qual se vissem um soberano humilhado e pobremente vestido, a caminho de inesperado triunfo…
6 E até soldados da escolta, recordando vários companheiros que Simão transfigurara, ao curar-lhes os parentes enfermos, abeiravam-se dele com veneração e carinho…
7 Apenas um dos pretorianos, Sertório Aniceto, destacado elemento na expedição, não poupava o sarcasmo.
8 Desejando quebrar a atmosfera de reverência e de êxtase que se fazia, desdobrava impropérios:
— Para diante, velho impudente! Judeu sujo! Lixo humano, que envergonharia os postes da arena!…

Comentário de Sergio Rosa em 20 dezembro 2015 às 23:09

O Natal do apóstolo II
(Quando Simão Pedro foi arrancado aos grilhões do cárcere para o derradeiro sacrifício)
Antologia mediúnica do Natal — Autores diversos

9 E mais à frente:
— Não abuse da crendice do povo! Ladrão imundo, chegou seu fim!…
10 Pedro, entretanto, contemplava o céu escaldante da tarde e orava em silêncio…
11 Sentia-se, agora, fatigado e incapaz! Compreendia que a Boa Nova exigia servidores robustos e rogava ao Cristo enviasse obreiros novos e valorosos para a vinha do mundo…
12 Mas não era só isso… No imo do coração, ardia-lhe a saudade do Mestre e ansiava retomar-lhe a companhia para sempre…
13 Escalando a colina, via não longe o Campo de Marte, assinalado pelo monumento de Augusto, as cintilações do Tibre espreguiçando ao sol, o casario imenso, as termas e os jardins; no entanto, regressava pela imaginação à Galileia distante, buscando Jesus em pensamento…
14 Revia o lago de Genesaré, em seus dias mais belos, e as multidões simples e generosas com que o Senhor repartia o pão e a verdade, o consolo e a esperança…
15 Por estranhos mecanismos da memória, respirava, de novo, o perfume das rosas de Betsaida, das romãzeiras de Dalmanuta, das quintas frutescentes de Magdala e dos pequenos vinhedos de Cafarnaum…
16 Apesar do calor reinante, rememorava a pesca e supunha-se envolvido pelo sopro da brisa, quando a barca sobrestava as ondas calmas.
17 Reconstituía, enlevado, as pregações do Divino Amigo e parecia-lhe jornadear de retorno à família das crianças e dos enfermos, das mães sofredoras e dos velhinhos que ele próprio lhe entregara ao coração…
18 Atingido o local do suplício, confiou-se automaticamente aos soldados que o desnudaram, e, como se estivesse hipnotizado pela ideia do reencontro, sofregamente aguardado, quase nada percebeu dos martelos, rudemente manobrados, que lhe apresavam pés e mãos ao lenho que se lhe erguera de improviso…
19 Em derredor, escutava os protestos velados das centenas de espectadores da lamentável exibição, de mistura com as preces dos companheiros agoniados…
20 Detido, porém, na ânsia de repouso, Pedro não via que o tempo se escoava, sem que lhe desfechassem qualquer golpe…
21 Aqui e além, grupos em orações e lágrimas salientavam-se de mãos postas; contudo, a morte tardava…

Comentário de Sergio Rosa em 20 dezembro 2015 às 23:06

O Natal do apóstolo III
(Quando Simão Pedro foi arrancado aos grilhões do cárcere para o derradeiro sacrifício)
Antologia mediúnica do Natal — Autores diversos

22 Aniceto, entretanto, não o perdia de vista, e, reparando que o crepúsculo baixava, atirou-lhe pontiagudo calhau à cabeça e gritou:
— Morre, bruxo!
23 O apóstolo observou que o sangue esguichava, mas, sem qualquer reação, rendeu-se a invencível torpor, qual se fosse repentinamente anestesiado por brando sono.
24 SEMELHANTE IMPRESSÃO, CONTUDO, PERDUROU POR MOMENTOS. O ANCIÃO, APÓS DESALGEMAR-SE DO CORPO, IDENTIFICOU-SE ESPIRITUALMENTE, LIVRE E EUFÓRICO, AO PÉ DOS PRÓPRIOS DESPOJOS, E, ALHEIO À ALGAZARRA EM TORNO, CONTEMPLOU O FIRMAMENTO, ONDE OS ASTROS SE INFLAMAVAM, COMO SE DEDOS INVISÍVEIS ACENDESSEM LUMES DESLUMBRANTES PARA UMA FESTA NO CÉU…
25 ESPANTADO, OBSERVOU QUE UM HOMEM DESCIA DO ALTO, COMO QUE MATERIALIZADO PELA FULGURAÇÃO DAS ESTRELAS, E, DECORRIDOS ALGUNS INSTANTES DE ASSOMBRO, VIU JESUS A DOIS PASSOS, A ENDEREÇAR-LHE O INOLVIDÁVEL SORRISO.
26 — Mestre! — clamou, inclinando-se para beijar o chão que ele pisava. O Messias redivivo tomou-o nos braços e partiu, conchegando-o ao coração, qual se transportasse frágil criança.
27 Por várias semanas restaurou-se Pedro na estância de luz que o Cristo lhe reservara.
28 Junto dele, visitou paragens de inexprimível beleza, recolheu lições preciosas, presenciou espetáculos soberbos da grandeza cósmica e abraçou afeições inesquecíveis…
29 Quando mais integrado se reconhecia no Plano Superior, eis que o Celeste Companheiro lhe anuncia nova separação. Que o discípulo descansasse quanto quisesse, elevando-se às excelsas regiões… Ele, porém, devia ausentar-se…
— Senhor, aonde vais? — indagou o apóstolo, penosamente surpreendido.
30 E Jesus, indicando-lhe escuro recanto da vastidão, em que se adivinhava a residência planetária dos homens, informou, sereno:
— Pedro, enquanto houver um gemido na Terra, não me será lícito repousar…
— Então, Senhor, eu também…
31 E, como outrora, demandaram, juntos, os quadros de ação, em que se lhes evidenciasse o amor sublime…
32 Atraídos por centenas de vozes, atravessaram Roma, parando, por fim, em espaçoso cemitério da Via Ápia, mergulhado na sombra noturna…
33 A multidão cantava, glorificando o Senhor… Não obstante o Natal estivesse na lembrança de poucos, rememorava-se, ali, diante da imensidão constelada, a melodia dos mensageiros angélicos.
34 Simão, fremindo de emotividade, começou a chorar de alegria. Anelava ser bom, aspirava a ser irmão da Humanidade, queria auxiliar a construção do Reino de Deus e homenagear a manjedoura de Belém, ofertando algo de si mesmo, em louvor do Evangelho…
35 NESSE ÍNTERIM, APROXIMOU-SE JESUS E DISSE-LHE AO OUVIDO:
— PEDRO, ALGUÉM TE CHAMA…
36 O APÓSTOLO VOLTOU-SE E, ADMIRADO, ENXERGOU NA PEQUENA COMUNIDADE UM HOMEM TRISTE, CARREGANDO NOS BRAÇOS UM PEQUENINO AGONIZANTE…
37 ERA ANICETO, A ROGAR-LHE, MENTALMENTE, SE LHE COMPADECESSE DO FILHINHO QUE A FEBRE DEVORAVA.
Qual se lhe registasse a presença, expunha-lhe os remorsos que amargava e pedia-lhe perdão…
38 O antigo pescador não hesitou. Depois de oscular-lhe a fronte suarenta, afagou a criança atribulada, impondo-lhe as mãos, e, ali mesmo, magneticamente tocado por forças renovadoras e intangíveis, o menino despertou, lúcido e refeito, enlaçando-se ao pai, à feição da ave assustada que torna à segurança do ninho.
39 ANICETO, NO ÍNTIMO, COMPREENDEU O SOCORRO E A BÊNÇÃO QUE RECEBIA E, RENOVADO, COMEÇOU A CANTAR EM LÁGRIMAS DE JÚBILO: “GLÓRIA A DEUS NAS ALTURAS, PAZ NA TERRA E BOA VONTADE PARA COM OS HOMENS!…” (LC)
40 PARA O RUDE LEGIONÁRIO DE CÉSAR COMEÇAVA NOVA VIDA E PARA SIMÃO PEDRO O SERVIÇO CONTINUOU…
.Irmão X
(.Humberto de Campos)

Comentário de Marina Moura em 7 agosto 2015 às 10:36

Comentário de Marina Moura em 7 agosto 2015 às 10:35

Nossa Senhora da Paz

A cada homem que vem a este mundo, Jesus repete: Esta é a minha Mãe. Por ela vencerás. (Serva de Deus, Madre Maria José de Jesus)


Ó Maria, doce Mãe de Jesus Cristo, Príncipe da Paz, eis a vossos pés vossos filhos tristes, perturbados e cheios de confusão; pois afastou-se de nós a paz pelos nossos pecados. Intercedei por nós, para que gozemos a paz com Deus e nosso próximo, por vosso Filho Jesus Cristo. Ninguém pode dá-la, senão esse Jesus que recebemos de vossas mãos. Quando nasceu em Belém os anjos nos anunciaram a paz e quando Ele abandonou o mundo no-la prometeu e deixou-a como sua herança. Vós ó Bendita, que trazeis sobre os vossos braços o Príncipe da Paz, mostrai-nos esse Jesus e deita-o em nosso coração. Ó Rainha da Paz, estabelecei entre nós o vosso reino e reinai com vosso Filho no meio do vosso povo, que cheio de confiança se recomenda à vossa proteção. Afastai para longe de nós os sentimentos de amor próprio: expulsai de nós o espírito de inveja, de maldição e de discórdia. 
Fazei-nos humilde na fortuna, fortes nos sofrimentos, em paciência e caridade firmes e confiantes na divina providência. 
Abençoai-nos, dirigindo os nossos passos no caminho da paz, da união e mútua caridade, para que, formando aqui a vossa família, possamos no Céu bendizer-vos e a vosso divino Filho porto da eternidade.

Nossa Senhora, rogai por nós. Amém.

Comentário de Marina Moura em 5 agosto 2015 às 13:00

Comentário de Marina Moura em 5 agosto 2015 às 12:55
Senhor, neste dia, venho pedir-Te saúde, força, paz e sabedoria.

Quero olhar hoje o mundo com olhos cheios de amor, ser paciente, compreensivo, manso e prudente; ver, além das aparências, teus filhos como Tu mesmo os vês, e assim não ver senão o bem em cada um.

Fecha os meus ouvidos a toda a calúnia.

Guarda a minha língua de toda a maldade.

Que só de bênçãos se encha o meu espírito.

Que eu seja tão bondoso e alegre, que todos quantos se aproximarem de mim, sintam a tua presença.

Senhor, reveste-me da tua beleza, e que, no decurso deste dia, eu Te revele a todos.

AMÉM.

Comentário de Marina Moura em 4 agosto 2015 às 18:23

Comentário de Marina Moura em 4 agosto 2015 às 18:20

Salmo 91 

1 Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.
2 Direi do Senhor: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei.
3 Porque ele te livrará do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa.
4 Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel.
5 Não terás medo do terror de noite nem da seta que voa de dia,
6 Nem da peste que anda na escuridão, nem da mortandade que assola ao meio-dia.
7 Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti.
8 Somente com os teus olhos contemplarás, e verás a recompensa dos ímpios.
9 Porque tu, ó Senhor, és o meu refúgio. No Altíssimo fizeste a tua habitação.
10 Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda.
11 Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.
12 Eles te sustentarão nas suas mãos, para que não tropeces com o teu pé em pedra.
13 Pisarás o leão e a cobra; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente.
14 Porquanto tão encarecidamente me amou, também eu o livrarei; pô-lo-ei em retiro alto, porque conheceu o meu nome.
15 Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia; dela o retirarei, e o glorificarei.
16 Fartá-lo-ei com lonjura de dias, e lhe mostrarei a minha salvação.

Comentário de Marina Moura em 1 agosto 2015 às 13:03

 Que todos os nossos dias sejam abençoados e queridos por Deus

 Que nossos dias sejam repletos de Amor, Coragem e Força .

Comentário de Marina Moura em 1 agosto 2015 às 12:56

As mãos de meu pai,

As tuas mãos têm grossas veias como cordas azuis sobre um fundo de manchas já da cor da terra como são belas tuas mãos pelo quanto lidaram, acariciaram ou fremiram da nobre cólera dos justos...

Porque há nas tuas mãos , meu velho pai, essa beleza que se chama simplesmente vida.

E, ao entardecer , quando elas repousam nos braços da tua cadeira predileta, uma luz parece vir de dentro delas...

Virá dessa chama eu pouco a pouco, longamente, vieste alimentando na terrível solidão do mundo , como quem junta uns gravetos e tenta atende-los contra o vento.

Ah! Como os fizeste arder, fulgir, com o milagre das tuas mãos!

E é , ainda, a vida que transfigura as tuas mãos nodosas...essa chama de vida-que transcende a própria vida... e que os Anjos , um dia, chamarão de alma.

 

                                                                                                                                             Mário Quintana

Comentário de Marina Moura em 28 julho 2015 às 12:08

 A verdadeira fé  ajuda a lidar com as situações a fé nos fortalece e nos da equilíbrio para suportar os momentos difíceis.

Dos quais muitas vezes não estamos preparados , então creio que com o AMOR tudo faz mudar, adquirimos força, equilíbrio e coragem para lutar .

Comentário de Vania de Castro em 31 outubro 2014 às 22:31

Que bom encontrá-lo aqui, Ridney.

Que você escreva muitas vezes.

Aqui é um espaço ecumênico, que abraça todas as religiões. 

Fique á vontade!

Deixo pra você meu carinho e um Salmo que gosto muito:

Beijos e abraços,

Vania

Comentário de Ridney Rodrigues Ferreira em 31 outubro 2014 às 14:15

No Brasil, e deve ser assim em outros lugares, nós falamos: ‘se Deus quiser...’ Mas não queremos, verdadeiramente, saber a vontade de Deus. Preferimos dar conta do recado, procurar a solução, sozinhos. Quando não conseguimos bate o desespero.

Eu sou Evangélico, nasci em um lar Evangélico e aprendi, muito cedo, que a vontade de Deus, muitas e muitas vezes, não é a nossa vontade. Ele tem os seus próprios planos.

Aprendi a agradecer a Deus por tudo. A Sua Palavra nos ensina: "Em tudo dai graças, pois esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus. I Ts 5:18"

Aprendi que confiando Nele, e agradecendo, nada  nos afeta. Nem vida, nem morte.

Eu não sou um alienado, um contemplador da vida, eu prossigo batalhando pelo meu pão, fazendo negociações diariamente. Luto com minha preguiça, as vezes perco, outras ganho. Sou normal, humano.

Muitas vezes me entristeço de ter esta doença em meu corpo. Gostaria de poder passear, de ninguém ter que se preocupar em me dar banho, me vestir, escovar meus dentes, me ajudar a me limpar quando vou ao banheiro,...

Eu não gostaria de estar nesta situação, mas estou, então, agradecido de coração, agradeço.

Tenho outra parte da Bíblia que sempre tenho meditado: “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se veem. Hb 11:1”. Nem tudo será visto.

Não vejo a cura, mas nem por isto perco a fé. Se a minha fé não crê que Deus é quem me cura, ela é vã. Poderíamos até pensar que é a Ciência que cura. Isto é licito, minha esposa é médica. Ela tem o conhecimento da ciência, mas ela sabe que se Deus não agir de nada adianta, então todo o paciente ela ora pedindo orientação para que Deus lhe indique a terapia correta.

Não vou desistir da fé porque a doença não tem cura. Pelo contrário, agradeço a Deus pela minha cura. Não como alguém que desfere socos no ar, mas alguém que crê que Deus tem todo o controle da minha vida e da minha família.

‘Se Deus quiser,...’ É assim que vivo.

Comentário de Sergio Rosa em 13 setembro 2014 às 17:09

Rubem Alves nos deixou o seguinte aforismo:
"Por vezes suspeito que as coincidências sejam apenas manifestações da trama invisível de sentido que liga todas as coisas do universo. Parecem coincidência porque não vemos o avesso da tapeçaria".
E o Criador fez mais,deixou-nos a tecer por  conta e livre arbítrio, desde então pudemos fiar e confiar que.....

Comentário de Vania de Castro em 23 dezembro 2012 às 14:12

Thank you, sister Sharon.

I love you.

Kisses and hugs.

Vania

Comentário de sharonlcrump em 22 dezembro 2012 às 22:34

"THE LORD IS MY SHEPHERD, I SHALL NOT WANT." THIS IS MY PRAYER. I HAVE ALS AND IT HAS ROBBED ME OF MY VOICE, AND SPEECH, AND I CAN NO LONGER EAT, AND I CAN NO LONGER WALK . BUT I HAVE GREAT FAITH IN MY SHEPHERD WHO CARRIES ME ALONG MY PATH. I STAY IN THE PRESENT MOMENT, ONE DAY AT A TIME. GOD GIVES ME STRENGTH!

 I WISH FOR EVERYBODY TO HAVE A WONDERFUL CHRISTMAS.IN THE LORD.

© 2017   Criado por Vania de Castro.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço